n
Canyons > Ribeira do Moinho (centro)

Ribeira do Moinho (centro)

Curso de água: Ribeira do Moinho (Porto Moniz)


Aberto por Antoine Florin, Gilles Castagnet em Maio de 2001
Reequipado por Filipe Ferreira, Pedro Silva, Ricardo Freitas e Tiago Freitas em Maio de 2015

Acesso:

Para aceder a este canyon existem duas alternativas. Subir desde o Chão da Ribeira (Caminho da Terra Chã) em #1 até alcançar o ponto #2 (cerca de 1H30 e 700m de desnível) ou deixar um carro na zona dos Estanquinhos #3 e descer a pé até ao ponto #2. É possível  percorrer quase todo o acesso com um veículo TT mas existe uma cancela que impede a entrada. Se pretender chegar perto do início do canyon com um veiculo TT, poderá experimentar fazer um pedido para esse efeito junto aos guardas florestais que se encontram nos Estanquinhos.

Se optar por começar a sua aproximação desde os Estanquinhos #3 (1H30 a pé), é necessário percorrer a estrada de terra batida até um cruzamento #4 e seguir pela direita. Nesta zona a estrada sobe um pouco para depois voltar a descer em direção ao canyon. No quilómetro final a estrada tem uma grande inclinação, tornando-se mais à frente numa vereda (é possível aceder com um veículo TT até esta zona).

No ponto #2, quer venha desde os Estanquinhos quer venha desde o Chão da Ribeira, existe um pequeno trilho mal marcado por onde deverá seguir para alcançar a linha de água. No início é necessário descer por entre as urzes até alcançar o primeiro rapel marcado com um anel de corda, local onde começa a correr alguma água.

Saída:

Depois do ultimo rapel C170m é necessário continuar a descer a ribeira por mais 100m onde encontrará uma levada na margem esquerda que nos leva por entre as plantações de vinha. No final da vereda deverá deixar o seu carro estacionado, perto da boca do “Túnel do Lugar” #5.

Observações:

  • Este canyon tal como mencionou Antoine Florin em “Canyons da Madeira”, é um canyon reservado a equipas com boa gestão técnica em fracionamentos e manobras de cordas.
  • R1 está marcado com um anel de corda mas até R5 não existem mais amarrações. Deve usar a corda diretamente nas árvores ou levar pontas de corda para abandonar.
  • Os primeiros rapéis (já com água) poderão ser descidos em árvores, destrepados ou até contornados.
  • Em R5 é necessário gerir um roçamento que se encontra 30m mais abaixo. Aproximação é um pouco exposta mas poderá utilizar árvores recuadas para realizar uma aproximação em segurança.
  • Entre R6 e R9 existe uma vereda pouco evidente que cruza a linha de água. Não se conhece o seu estado.
  • A C80 tal como indica Antoine Florin no seu livro, foi fracionada num bloco que bloqueava anteriormente a corda.
  • R12 deverá ser reequipado na margem esquerda, evitando assim as duas mudanças de margem.
  • R16 encontra-se no centro, numa árvore que pende no sentido da cascata. Atenção à aproximação exposta.
Aproximação:1h 30min
Percurso:6h
Regresso:15min
Altitude início:985m
Altitude fim:225m
Extensão:700m
Rapéis:19
Cascata mais alta:170m
Corda mínima (x2):60m
Dificuldade vertical:6 - Bastante difícil
Dificuldade aquática:  3 - Moderado
Dificuldade saída:IV - Algo Difícil
Ligação carro:18km

Coordenadas:


Croqui:

croqui ribeira do moinho centro

Não se iniba em deixar um comentário sobre a sua descida. Mantenha a comunidade informada e em segurança!

Feel free to leave a comment on your descent. Keep the community informed and safe!

2 Comentários

  1. Barranco descendido el 28-18-2016.
    El caudal era normal-bajo. Anclajes naturales en mal estado, incluso algún árbol estaba podrido o roto.
    La localización del barranco sin gps puede dar lugar a engaños, pues el ultimo trozo se encuentra totalmente cerrado sin la menor intuición de sendero, el cauce en un primer momento es muy difícil de encontrar.
    La primera parte los naturales son directamente a árboles, (sobre una hora hora y algo de destrepes y algún rápel pequeño).
    En R10 (40m) solo dispone de un parabolt, siendo necesario desdoblar la instalación.
    En R12 nosotros encontramos la instalación formada por 2 parábolt en margen derecho.
    En la primera gran vertical de 140 metros observamos gran caída de piedras llegando a comprometer la seguridad del grupo, también aguna caída de piedras en la 170 pero menos acusada.
    En general lo consideramos barranco muy poco frecuentado y peligroso por caída de piedras.

  2. Descido a 09 de Maio de 2015.
    O caudal encontrava-se bom, corria a partir de R1.
    Em R10 foram instaladas e substituídas algumas amarrações naturais.
    R12 não foi encontrada e poderá estar tapada pela vegetação. Foi instalado um novo fracionamento alguns metros mais abaixo. Este fracionamento deverá ser reinstalado na margem oposta evitando assim as duas travessias no caudal.
    É um canyon muito interessante, apesar de exigente tecnicamente, e conta com uma vista espetacular sobre o Seixal e o mar.